segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Joaquim Castro Caldas







Fotos: Patologista
Joaquim Castro Caldas em Outubo de 1990, no Pinguim Café, Porto.
Foi nos blogs que soube da morte do Joaquim. Para aqueles que, como eu, eram viciados nas noites de poesia do Pinguim, o Castro Caldas era o jovem que nos lia poesia, aquele que os lia de forma violenta e crua, delicada e humorada. O Pinguim da época do Castro Caldas era um local único que fez parte da vida de muitos jovens como eu. O minimo que se pode dizer é que parte daquilo que hoje sou, o devo um pouco ao Joaquim, por tudo aquilo que me deu a conhecer. As fotos aqui apresentadas foram tiradas em Outubro de 1990, numa dessas noites mágicas. Foi o Joaquim que me pediu para levar máquina. Queria ter uma recordação desses momentos.
Obrigado, Joaquim.



11 comentários:

Rui Spranger disse...

Que belas fotos. Obrigado por me teres convidado a vir aqui ve-las.
A mulher do Joaquim dizia-me tristemente ontem que tinha poucas fotos dele, se tiveres oportunidade, ela ficaria muito contente concerteza se ficasse com uma cópia.
Um abraco solidário.

Fragmentos Culturais disse...

...li na imprensa virtual e segui o rasto de alguns blogues que do poeta falavam!

Fotos que certamente ficarão no arquivo 'poético' da literatura portuguesa.

Mais uma voz de poeta que se cala...

apedroribeiro disse...

essas fotos trazem muitas e ricas memórias. A poesia nua e crua. O Joaquim.
Abraço.

maria_arvore disse...

Ainda bem que captaste os momentos que agora o fazem presente entre nós. Obrigada!

António Pedro disse...

Foi um dos últimos romântidos. Até sempre Joaquim! Adeus...

Anónimo disse...

Obrigada pelas fotos.Era o tempo em que o baú estava cheio de livros para serem lidos, ditos, cantados. Muitos dos livros que eu tinha na estante aí foram parar. Que melhor proveito que esse!..Saíam da estante e ganhavam vida.Tenho saudades desse tempo e do meu amigo Joaquim."Havia tanta coisa que tinha p'ra dizer, se não fosse...". Até sempre querido Joaquim!

http://rpl1.wordpress.com disse...

Na volta, estava contigo na noite destas fotos. Soube da morte dele estava eu em Espanha. Lamento, claro. Ainda por cima tinha falado dele recentemente, para o convidar para um projecto que acontecerá em 2009. Agora já vai tarde. Quem dera que o tivesse feito antes. Pelo menos teria conversado com ele uma última vez.

Maria Irene disse...

A Graça, mulher do Joaquim, eu e alguns amigos estamos a recolher textos, histórias, fotos ou testemunhos, para posterior publicação, do ou sobre o Joaquim, em:

joaquim.castrocaldas@gmail.com

Bem hajam

Mié Mendes Moreira

patologista disse...

Maria Irene, assim que possa enviarei as fotos com todo o gosto.

LOCO GATO disse...

Só conhecia a segunda foto, que salvo erro saiu publicada na altura (na metro?).

Quem viveu as noites do Pinguim "sente" a presença do Joaquim, e daquela cave, nestas fotos. Um senhor-documento, ainda bem que existe.

Nuno Meireles - Poesia Em Voz Alta disse...

Muito boas as fotos, ilustrativas de um bom ambiente e de uma alma sensível. Obrigado.