quarta-feira, 8 de abril de 2009

Os Putos












Fotos : Egidio Santos
Vila Chã, 1991



Uma bola de pano, num charco
Um sorriso traquina, um chuto
Na ladeira a correr, um arco
O céu no olhar, dum puto.
Uma fisga que atira ,a esperança
Um pardal de calções, astuto
E a força de ser, criança
Contra a força dum chui, que é bruto.


Parecem bandos de pardais à solta
Os putos, os putos
São como índios, capitães da malta
Os putos, os putos
Mas quando a tarde cai
Vai-se a revolta
Sentam-se ao colo do pai
É a ternura que volta
E ouvem-no a falar do homem novo
São os putos deste povo
A aprenderem a ser homens.


As caricas brilhando ,na mão
A vontade que salta ,ao eixo
Um puto que diz ,que não
Se a porrada vier, não deixo
Um berlinde abafado ,na escola
Um pião na algibeira ,sem cor
Um puto que pede ,esmola
Porque a fome lhe abafa ,a dor.

Parecem bandos de pardais à solta
Os putos, os putos
São como índios, capitães da malta
Os putos, os putos
Mas quando a tarde cai
Vai-se a revolta
Sentam-se ao colo do pai
É a ternura que volta
E ouvem-no a falar do homem novo
São os putos deste povo
A aprenderem a ser homens.


Ary dos Santos

10 comentários:

pf disse...

Uma série notável.

Luis Duarte disse...

Esta serie está uma maravilha!!!!!

forteifeio disse...

Belas fotos dos putos.

maria_arvore disse...

Espectacular!

Consegues mesmo captar expressões marcantes dos putos. :)

patologista disse...

Pf, sabia que ias gostar.
Fiz estas com uma Rollei, 6x6, que mais tarde vendi, para grande desgosto meu (mas o dinheiro fazia falta).
Apaixonei-me logo pelas fotos, mas nunca as tinha mostrado a ninguém.

patologista disse...

Luis, aparece sempre. Comentários teus são sempre bem-vindos.

patologista disse...

Forteifeio, creio que é a primeira vez que por cá anda. Pelo menos nos comentários. Espero tê-lo cá mais vezes.

patologista disse...

Maria, quanto mais regresso aos meus negativos antigos mais fico com a sensação de que fotografava melhor nessa altura. Agora o trabalho prende-me tanto que sobra pouco tempo para estas coisas bonitas. Beijo grande.

Atenta disse...

Nesta série é verdadeiramente "a força de ser criança" que se sente... E a espantosa força no e do olhar (de um fotógrafo que, pelos vistos, apesar do excesso de trabalho que refere, não perdeu a capacidade de se encantar).
Parabéns, mais uma vez, pelas belíssimas fotografias que aqui podemos partilhar!

lili disse...

Belíssima série, fez-me lembrar os putos do Aniki Bobó.